• Apostoli Christ

A Sétima Trombeta


O Grande Monarca Católico, a espada na boca de Deus, destrói os inimigos de Deus



"Os castigos de Deus cairão sobre nós de diversas maneiras. A praga, a angústia, o sangue derramado. Haverá em nossa França uma reversão terrível! Não obstante, esses dias serão revogados em favor dos justos. Deus elevará ao trono um rei modelo, um rei cristão. O filho de São Luís amará a religião, a bondade, a justiça. O Senhor lhe dará a luz, a sabedoria e o poder. Ele preparou isso muito antes e isso acontecerá no crisol da prova e do sofrimento, mas ele vai recordar os exilados. Ele, o Senhor, o pegará pela mão e, no dia determinado, ele será colocado no trono. Seu destino é reparar e regenerar; a religião consolada florescerá novamente, e todo o povo louvará o reinado do Príncipe enviado pelo Céu, mas depois o mal tomará conta e permanecerá mais ou menos até o Fim dos Tempos."


- Madre Josefa de Bourg, fundadora da Congregação das Irmãs do Salvador





Apocalipse Capítulo 10 Versículos 1-10


O clamor de um Anjo poderoso. Ele dá a São João um livro para comer.


"Vi então outro Anjo vigo­roso descer do céu, revestido de uma nuvem e com o arco-íris em torno da cabeça. Seu rosto era como sol, e as suas pernas como colunas de fogo. Segurava na mão um pequeno livro aberto. Pôs o pé direito sobre o mar, o esquerdo sobre a terra e começou a clamar em alta voz, como um leão que ruge. Quando clamou, os sete trovões ressoaram. Quando cessaram de falar, dispunha-me a escrever, mas ouvi uma voz do céu que dizia: “Sela o que falaram os sete trovões e não o escrevas”. Então o Anjo, que eu vira de pé sobre o mar e a terra, levantou a mão direita para o céu e jurou por aquele que vive pelos séculos dos séculos, que criou o céu e tudo o que há nele, a terra e tudo o que ela contém, o mar e tudo o que encerra, que não haveria mais tempo; mas, nos dias em que soasse a trombeta do sétimo Anjo, se cumpriria o mistério de Deus, de acordo com a Boa-Nova que confiou a Seus servos, os profetas. Então, a voz que ouvi do céu falou-me de novo, e disse: “Vai e toma o pequeno livro aberto da mão do Anjo que está em pé sobre o mar e a terra”. Fui eu, pois, ter com o Anjo, dizendo-lhe que me desse o pequeno livro. E ele me disse: “Toma e devora-o! Ele te será amargo nas entranhas, mas, na boca, doce como o mel”. Tomei então o pequeno livro da mão do Anjo e o comi. De fato, em minha boca tinha a doçura do mel, mas depois de o ter comido, amargou-me nas entranhas."

Que esta passagem se aplica a Henry De Le Croix, o Grande Monarca Católico é afirmado pelo Venerável Bartolomeu Holzhauser. O homem considerado pela Igreja como o maior especialista no Apocalipse. Apresentamos aqui seus comentários sintetizados precedidos pelo versículo do livro sagrado que o inspirado autor comenta.




Livro Quinto – Capítulo X - Versículos 1-11


V.1 - “E vi outro anjo forte que descia do céu, vestido de uma nuvem, e com o arco-íris sobre a cabeça, e seu rosto era como o sol, e seus pés como colunas de fogo”.

É o Anjo tutelar e protetor do Império Romano. Representa duas pessoas: o Grande Monarca e o próprio Anjo, que anuncia algo oposto ao que anunciavam os Anjos precedentes. Pleno de força: é o poder do Grande Monarca. Descendo do céu: ele nascerá dentro da Igreja Católica. Vestido de uma nuvem: a humildade do Monarca. Um arco-íris sobre a cabeça: paz de Deus com a terra. Rosto como o sol: esplendor da justiça, glória, inteligência, sabedoria, caridade e zelo do Monarca; é como o sol no meio dos outros astros. Pés como colunas de fogo: poder e extensão do império do Monarca.


V.2 - “E ele tinha em sua mão um pequeno livro aberto; e pôs o pé direito sobre o mar e o esquerdo sobre a terra”.

O livro é o Concílio geral realizado por obra do Monarca. Está aberto devido à clareza de suas sentenças e definições. Pés sobre o mar e sobre a terra: extensão do império do Monarca sobre a terra e as ilhas.


V.3 - “E gritou com alta voz, como um leão quando ruge. E após ter gritado sete trovões fizeram ouvir seus ruídos”.

Voz como a do leão: terror que vai inspirar aos povos da terra e das ilhas; editos imperiais para a execução do Concílio. Sete trovões: murmúrios, protestos e gritos contra o Monarca e o Concílio.


V.4 - “E depois que os sete trovões fizeram ouvir suas vozes, eu me dispunha a descrevê-las; mas ouvi uma voz do céu que me dizia: Sela as palavras dos sete trovões e não as escrevas”. V.5 - “E o Anjo que eu vira de pé sobre o mar e sobre a terra levantou a sua mão ao céu”.

É o Anjo representando a si mesmo, revelando os segredos divinos sobre o fim dos tempos, como guardião e protetor do Império.


V.6 - “E ele jurou por aquele que vive pelos séculos dos séculos, que criou o céu e tudo o que nele há, e a terra e tudo o que há nela, e o mar e tudo o que nele há, que não haveria mais tempo”.

Testemunho apoiado por um juramento. O tempo para os réprobos havia terminado.


V.7 - “Mas que nos dias da voz do sétimo Anjo, quando começasse a soar a trombeta, se cumpriria o mistério de Deus, como ele o anunciou pelos profetas, seus servos”.

É o anúncio do fim dos tempos e do Juízo Final, a ressurreição dos mortos, o prêmio e o castigo. Os Profetas são Moisés, Enoque, Elias e todos os do Antigo Testamento, os Apóstolos, Doutores e pregadores do novo.


V.8 - “E ouvi a voz do céu que novamente me falava, e que dizia: Vai e toma o livro aberto da mão do Anjo, que está de pé sobre o mar e sobre a terra”. V.9 - “E fui ter com o Anjo, dizendo-lhe que me desse o livro. E ele me disse: Toma o livro e devora-o; e ele fará amargar o teu ventre, mas na tua boca será doce como mel”. V.10 - “E tomei o livro da mão do Anjo e o devorei; e na minha boca era doce como o mel; mas depois que o devorei tornou-se amargo do meu ventre”. V.11 - “E ele me disse: É necessário que ainda profetizes a muitas nações, povos, homens de diversas línguas e reis”.

São João representa aqui a pessoa moral de toda a Igreja e nos instrui sobre a qualidade e os efeitos daquele livro. Era na boca doce como mel: contém uma doutrina sadia, unânime e santa em matéria de fé e costumes. Será doce na boca de toda a Igreja por ser obra do Espírito Santo, recebida com aclamação e unânime consentimento. Mas também produzirá uma grande comoção, pois o mundo, o demônio e a carne sempre resistiram e resistirão às obras de Deus. Esta sublevação será feita primeiramente pelos poderes temporais, que resistirão pelas armas ao Grande Monarca e perseguirão aqueles que empreenderem a conversão dos povos à Fé católica por ordem do Monarca. A execução dos decretos do Concílio também enfrentará uma grande oposição da parte dos maus padres. Todas essas dificuldades são expressas pelas palavras: “mas depois que o devorei ele tornou-se amargo no meu ventre”. A Igreja deverá sofrer amarguras, tribulações e dificuldades na execução desse Concílio, porém esses males não prevalecerão e seus inimigos não poderão impedir que se realize a grande obra de Deus. “Que ainda profetizes a muitas nações, povos, etc” significa a pregação do Evangelho e da Fé católica nos países que o islamismo, o cisma, o protestantismo ou qualquer outra seita haviam separado da Igreja. Esta pregará pela voz daqueles que ela enviará aos povos que já haviam conhecido a luz da Fé católica, mas apostataram: “ainda”. Isto acontecerá na sexta idade, que será uma época de consolação, enquanto a sétima será a idade da consumação.





Aqui estão várias citações de profecias de santos e outros:


O abade Souffrant morreu em 1828.


“O Grande Monarca fará coisas tão surpreendentes e maravilhosas que os mais incrédulos serão forçados a reconhecer o dedo de Deus. Em seu reinado, toda justiça será prestada. Deus usará o Grande Monarca para exterminar todas as seitas heréticas, todas as superstições... Nossos principais doutores concordam em nos anunciar que, no final dos tempos, um dos descendentes dos Reis da França reinará sobre todo o Império Romano; e que ele será o maior do Império; e que ele será o maior dos monarcas franceses e o último de sua raça."

São Césarius (469-542)

"Quando o mundo inteiro, e de uma maneira especial a França, e na França mais particularmente as províncias do norte, do leste e, sobretudo, a de Lorena e Champagne, terão sido presas das maiores misérias e provações, então as províncias serão socorridas por um Príncipe que foi exilado em sua juventude e que recuperará a Coroa dos Lírios. Este Príncipe deve estender seu domínio sobre todo o Universo. Ao mesmo tempo, haverá um grande Papa, que é mais eminente em santidade e mais perfeito em todas as qualidades. Este Papa terá com ele o Grande Monarca, um homem mais virtuoso, que será um descendente da santa raça dos Reis franceses. Este Grande Monarca ajudará o Papa na reforma de toda a Terra. Muitos príncipes e nações que vivem em erro e impiedade serão convertidos, e uma paz admirável reinará entre os homens durante muitos anos, porque a ira de Deus será aplacada por seu arrependimento, penitência e boas obras. Haverá uma lei comum, apenas uma Fé, um Batismo, uma Religião. Todas as nações reconhecerão a Santa Sé de Roma e prestarão homenagem ao Papa. Mas, depois de um tempo considerável, o fervor esfria, a iniqüidade é abundante e a corrupção moral se torna pior do que nunca, o que trará à humanidade a última e pior perseguição do Anticristo e o Fim do Mundo."

Santa Brígida da Suécia:


“O filho do homem, o parvenu do mar [o Grande Monarca Católico], será invencível na guerra e subjugará toda a Alemanha. A grande casa quase será derrubada. Por fim, a Águia virá do norte para o oeste e, juntamente com seus filhos, será cercada pelas torres da Espanha e eles elevarão a Alemanha novamente. A Águia também invadirá os países maometanos [as nações muçulmanas] e carregará o admirável sinal na Terra da Promessa [Israel]. Paz e abundância voltarão ao mundo. Esta guerra mais infeliz terminará quando um Imperador de origem espanhola for eleito, que, de maneira maravilhosa, será vitorioso através do sinal da Cruz. Ele destruirá as seitas judaicas e maometanas: ele restaurará a igreja de Santa Sofia e toda a Terra gozará de paz e prosperidade; e novas cidades serão erguidas em muitos lugares. ”

St. Cataldus 500 AD


"O Grande Monarca estará em guerra até os quarenta anos de idade; Rei da Casa de Lírio, ele reunirá grandes exércitos e expulsará tiranos de seu Império. Ele conquistará a Inglaterra e outros impérios da ilha. Na Grécia, ele invadirá e se tornará Rei dela. Colchis, Chipre, os turcos e os bárbaros ele subjugará e fará com que todos os homens adorem o Crucificado. Por fim, ele entregará sua coroa em Jerusalém ".

Bem-aventurado Rabanus Megentius Maurus b. 776, d. 856


"Depois de ter governado com alegria o seu reino, ele irá a Jerusalém e depositará no Monte das Oliveiras seu cetro e coroa. Este será o fim e a conclusão do Império Romano e Cristão."

São Metódio de Patara (um bispo martirizado do século IV)


"Quando o Filho da Perdição surgir, o Rei dos Romanos ascenderá ao Gólgota, sobre o qual está fixada a madeira da Santa Cruz, no local em que o Senhor sofreu a morte por nós. O Rei tirará a coroa da cabeça e a colocará sobre a Cruz e estendendo as mãos para o Céu entregará o reino dos cristãos a Deus Pai. A Cruz e a coroa do rei serão levadas juntas para o Céu. Isso ocorre porque a Cruz na qual Nosso Senhor Jesus Cristo estava pendurado para a salvação comum de todos aparecerá diante deles na Sua vinda para convencer a falta de fé dos incrédulos. A profecia de Davi, que diz: "Nos últimos dias a Etiópia estenderá a mão para Deus" [Salmo 67:32] será cumprida, pois esses últimos homens que estendem a mão para Deus são da semente de Chuseth, o filha de Phol, rei da Etiópia. Quando a Cruz for elevada ao Céu, o Rei dos Romanos entregará seu espírito. Então todo principado e poder serão destruídos para que o Filho da Perdição possa se manifestar..."

Profecia de Mayence (1854)


O reinado da sombra escura não terá tempo para executar todos os seus esquemas. Mas o tempo da misericórdia se aproxima. Um príncipe da nação está no seu meio. É o homem da salvação, o sábio, o invencível, ele deve contar seus empreendimentos por suas vitórias. Ele expulsará o inimigo da França, marchará de vitória em vitória, até o dia da justiça divina.

Joseph Goires (m. 1848)


O povo se unirá sob um poderoso monarca que fará novas leis e banirá a corrupção da terra. Para a Igreja caberá a tarefa de reconstruir a sociedade. Antes que esse homem venha para salvá-los, o povo perceberá como é amargo abandonar a Deus.
0 visualização

Amém, louvor, glória, sabedoria, ação de graças, honra, poder e força ao nosso Deus pelos séculos dos séculos! Amém

 

Apocalipse 7, 12

Contate-nos

© 2020 Apostoli Christ.